A ciência da nutrição saudável é mais do que seguir um cardápio determinado pelo profissional. É também modificar hábitos, rotina e paladar, em intensidades variadas dependendo da necessidade individual. Contudo, o cardápio, por mais personalizado que seja, possuindo alimentos ou restrições baseadas na condição fisiológica do paciente, contém algumas diretrizes básicas que a população pode seguir para melhorar sua saúde.

No Guia Alimentar para a População Brasileira de 2014, você pode conhecer algumas definições do mundo da nutrição e aplicações práticas no seu dia-a- dia. Seguem algumas dicas:

VER MAIS

1. Consuma mais alimentos in natura e/ou minimamente processados;
Tais alimentos vêm diretamente da natureza para o nosso prato: frutas, legumes, verduras, carnes, ovos, leite, arroz, feijão, água e café. Portanto, possuem maior aporte de nutrientes e minerais.

2. Modere o uso de açúcar, sal e gorduras;
Estes ingredientes são utilizados a fim de adicionar sabor aos alimentos, porém seu excesso poderá acarretar em problemas na sua saúde, como diabetes melitus tipo 2, obesidade, complicações renais e dislipidemias. Desta forma, consuma com moderação e opte pelos ingredientes menos processados, como o açúcar mascavo e óleos vegetais.

3. Cautela no consumo de alimentos processados;
Bolos, pães, conservas de legumes, carne seca, extrato de tomate e queijos são exemplos de alimentos simples que têm a denominação “processado”, pois são preparações culinárias com adição de açúcar ou sal. A ingestão moderada deriva da preocupação da quantidade acrescida de sal ou açúcar em tais alimentos, assim como da diminuição de nutrientes e minerais, devido ao seu processo de elaboração.

4. Elimine alimentos ultraprocessados do seu dia-a- dia;

Estes alimentos são perigosos para a sua saúde. Neles podem ter substâncias cancerígenas e/ou excesso de açúcar refinado, sal e farinha de trigo. Salgadinhos, embutidos (salsicha, salame, presunto), biscoito recheado, macarrão instantâneo, refrigerante, pó para refrescos, barras de cereal, entre muitos outros que, devido ao seu longo processamento, diminuem drasticamente o conteúdo nutricional ou transformam num produto totalmente artificial, e de quebra pode ter muitas calorias.

5. Realize pequenas refeições ao longo do dia;
Entre o café da manhã e o almoço, e entre o almoço e o jantar, pequenas refeições são bem-vindas para saciar a fome e se nutrir ainda mais. Seguindo as orientações anteriores, prefira alimentos in natura ou minimamente processados. Alguns alimentos são melhor aceitos nesses intervalos, como as castanhas, frutas e vitaminas.

Seguindo as recomendações aqui expressas, baseadas no Guia Alimentar para a População Brasileira, você terá qualidade de vida e muita saúde ao longo de sua vida. Seja Saudável!

Referências Bibliográficas:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf