Com tanta agitação no fim de ano e com a chegada do verão é comum esquecer o grande risco que a exposição solar oferece, sobretudo quando não cuidamos adequadamente da nossa pele.

São nestes pequenos descuidos que a saúde se torna mais vulnerável a certas doenças,como o Câncer de Pele, que de acordo com o INCA(Instituto Nacional do Câncer), atualmente é o tipo de câncer mais frequente entre os brasileiros, correspondendo a aproximadamente 30% de todos os tumores diagnosticados no Brasil.

Ainda segundo os dados do INCA, somente no ano de 2016 houve 175.760 novos casos de Câncer de Pele no Brasil, sendo o público feminino o mais acometido por esta doença.

Embora o Câncer de Pele também esteja relacionado a fatores de risco como a predisposição genética, sua principal causa associada ainda é a exposição prolongada e repetida ao sol, principalmente de regiões como a cabeça e o pescoço,que ocasionalmente é onde as lesões costumam ser mais comuns.

Tipos de Câncer de Pele

Você sabia que existem diferentes tipos de Câncer de Pele?

Os principais são: o Melanoma, o Carcinoma Basocelular e o Carcinoma Espinocelular. O tipo Melanoma representa apenas 3% dos casos diagnosticados, já o Espinocelular,embora seja menos frequente que o Basocelular, ainda representa cerca de 15% dos tumores malignos de pele.

Saiba mais sobre cada um deles abaixo:

Melanoma

O Melanoma dentre estes três tipos é considerado o mais agressivos. Mas apesar do seu diagnóstico normalmente gerar apreensão, vale lembrar que as chances de cura são de mais de 90%, quando descoberto precocemente. 

Carcinoma Basocelular

Considerado o mais recorrente dentre todos os tipos de Câncer de Pele, o Carcinoma Basocelular surge nas células basais e, geralmente, acomete regiões do corpo que ficam mais expostas ao sol como: rosto, orelhas, pescoço, couro cabeludo,ombros e costas.

O nariz é a localização mais frequente (representa quase 70% dos casos), mas o Carcinoma Basocelular também pode ocorrer na orelha, canto interno do olho e outras partes do rosto. Quando o tumor é retirado precocemente, as chances de cura são altas.

Carcinoma Espinocelular

Este tipo de câncer se manifesta nas células escamosas que constituem a maior parte das camadas superiores da pele e, assim como o Carcinoma Basocelular, seu desenvolvimento pode afetar diversas partes do corpo, apesar de ser também mais comum nas áreas frequentemente expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc.

Diferente do Carcinoma Basocelular que é tratado normalmente por ressecção local realizada por médicos Dermatologistas ou Cirurgiões Plásticos, o Carcinoma Epidermoide, como também é conhecido o Espinocelular, por vezes precisa ser tratado com uma abordagem cirúrgica focada no pescoço, o que é feito pelo Cirurgião de Cabeça e Pescoço.

Leia também o ARTIGO: Vamos falar sobre tumores de cabeça e pescoço?

Fique atento!

Manchas na pele que coçam, ardem, descamam ou sangram e feridas que não cicatrizam em até quatro semanas pedem atenção. A avaliação clínica é fundamental para complementar as informações da avaliação inicial, devem ser feitos exames de imagem, de laboratório e até mesmo biópsias.

Outra dica importante, antes de todo este processo é: conheça a sua pele! Analise-a com frequência para saber exatamente em quais regiões suas pintas estão localizadas.

As regras de identificação dos sinais do Câncer de Pele, chamadas de ABCDE podem ser muito válidas na autoavaliação:

  • Assimetria;
  • Bordas Irregulares;
  • Cor (tom de preto escuro ou várias colorações);
  • Diâmetro maior do que cinco milímetros;
  • Evolução que diz respeito à mudança de tamanho, forma e cor.

Saiba mais sobre Câncer de Pele.

Tratamento

Como diagnóstico médico, o melhor tratamento será indicado de acordo com as condições clínicas, desejos e expectativas do paciente. Mas, vale lembrar que o método varia conforme a extensão, agressividade e localização do tumor, bem como idade e estado de saúde do paciente.  

Em geral, a cirurgia é o método mais indicado e, dependendo do estágio do câncer,podem ser utilizadas pelo médico abordagens isoladas ou complementares como radioterapia e/ou quimioterapia.

Prevenção é sempre amelhor forma!

Se você leu este ARTIGO até aqui, a boa notícia é que o Câncer de Pele pode ser prevenido com medidas simples como: evitar a exposição ao sol no horário das 10h às 16h; usar proteção adequada como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas e aplicar na peleantes de se expor ao sol ou até mesmo em dias nublados, filtro solar com FPS (Fator de Proteção) de no mínimo 30.

Gostou deste ARTIGO? Compartilhe nas suas redes sociais e conscientize mais pessoas sobre o Câncer de Pele! 

Referências

Câncer de Pele Melanoma

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-pele-melanoma

Câncer da Pele

http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/cancer-da-pele/64/

Detecção Precoce

https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//informativo-deteccao-precoce-3-2016.jpg

Tumores de Pele em Cabeça e Pescoço

http://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/2363/tumores_de_pele_em_cabeca_e_pescoco.htm