Você já sentiu dor de cabeça? Provavelmente a resposta será que sim. Mas e a temível enxaqueca, se fez presente em algum momento de sua vida? Certamente, se você já teve algum episódio sabe do que estou falando: dor forte que pode durar quatro horas ou até três dias, associada ou não com vômitos, náuseas, sensibilidade à luz ou ao som.

A enxaqueca, que também é conhecida como migrânea, afeta cerca de 5% da população brasileira, segundo dados coletados em maio de 2017. É considerada um tipo de cefaleia e têm algumas características: é normalmente sentida de um único lado da cabeça e a dor é pulsátil, tendo variações na sua intensidade; as mulheres são as mais afetadas por este mal, sendo relacionada, portanto, aos níveis variáveis de hormônios ao longo do ciclo menstrual, assim como pessoas de baixo nível socioeconômicos.

VER MAIS

Apesar de haver certos consensos acerca da predisposição às crises enxaquecosas, a migrânea não está completamente elucidada e é considerada multifatorial. Ou seja, apenas um fator não é capaz de gerá-la. Desta forma, a partir de muitos estudos, verificou-se que a hereditariedade, o estresse, a prática de exercícios físicos, o consumo de álcool, a menstruação, a alimentação, o sono, a mudança climática, assim como perfumes e certos odores, são fatores que podem desencadear a enxaqueca.

Se você já foi diagnosticado com enxaqueca poderá usufruir de alguns tratamentos: medicamentosos, estipulados pelo seu médico; e, não medicamentosos. Neste último, inclui-se a identificação de possíveis causadores das crises, podendo ser realizado por você mesmo, e a eliminação deles. Para tal, uma observação minuciosa do seu dia-a-dia deverá ser feito. Uma dica é anotar tudo o que você ingeriu de alimento e bebida, assim como a prática de atividade física e o nível do estresse. Desta forma, quando tiver a enxaqueca, poderá recorrer às suas anotações e, ao longo do tempo, identificar o fator que acionou a crise. Um exemplo comum é passar por um período estressante, como na semana de provas finais da faculdade, e nestes dias ou logo após, sentir a temível migrânea.

É importante ressaltar que nenhum tratamento deverá ser realizado sem acompanhamento médico ou de um nutricionista, caso seja realizado à alimentação. Para tal, realize consultas e siga as orientações destes profissionais de saúde.

Referências Bibliográficas:

https://saude.abril.com.br/medicina/dia-de-combate-a-cefaleia-5-jeitos-atestados-de-evitar-enxaqueca/

https://www.researchgate.net/profile/Maria_Ferreira41/publication/240619024_Enxaqueca_mal_antigo_com_roupagem_nova/links/0a85e533c1bea2a338000000/Enxaqueca-mal-antigo-com-roupagem-nova.pdf

https://www.scielosp.org/article/rsp/2006.v40n4/692-698/