O câncer de cabeça e pescoço representa cerca de 5% das neoplasias que ocorrem na população ocidental e os principais fatores de risco relacionados a ele são o tabagismo e o etilismo. Independente da localização deste tumor e de seu grau de malignidade, o diagnóstico e a terapêutica precoces irão determinar um melhor prognóstico. Portanto, quanto antes o câncer for diagnosticado e tratado, melhores serão o controle da doença e a qualidade de vida do paciente.

A maior parte das neoplasias malignas de cabeça e pescoço tem início em células denominadas “escamosas”, que revestem as superfícies de diversas regiões, como: cavidade oral, faringe, laringe e seios paranasais. Estas células também podem estar presentes em tumores de glândulas salivares e de pele.

VER MAIS

Considerando os vários locais em que o câncer pode ser originado, a avaliação clínica é sempre muito importante, considerando sintomas relatados, histórico familiar, exposição a fatores de risco e exame clínico completo. Para complementar as informações da avaliação inicial, devem ser feitos exames de imagem, de laboratório e até mesmo biópsias. Com todos estes dados, podem
ser definidos o diagnóstico e o melhor tratamento personalizado para cada paciente, de acordo com suas condições clínicas, desejos e expectativas.

O aparecimento de nódulos na região de cabeça e pescoço, assim como feridas que não cicatrizam, dor de garganta, dificuldade de engolir e rouquidão persistentes, podem ser indicativos de algo está errado, sendo necessário procurar um médico especializado para definição de diagnóstico e inicio de tratamento.

Para evitar o aparecimento de tumores malignos, é importante levar uma vida saudável, com uma boa alimentação, atividade física periódica, evitando o consumo de álcool, cigarros e controlando o estresse. E, em caso de dúvidas, procurar o quanto antes um médico.

Referências Bibliográficas:

http://www.sbccp.org.br/wp-content/uploads/2014/11/2007_362-65-69.pdf
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/a-cabeca-e-o-pescoco/2556/122/
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/diagnostico/2558/122/
http://www.scielo.br/pdf/bjorl/v79n2/v79n2a18.pdf