A pele é o maior órgão do corpo humano, capaz de proteger o organismo contra doenças e de regular a temperatura corporal. Por esses motivos, este órgão deve ser cuidado diariamente para evitar o surgimento de possíveis danos, como o envelhecimento precoce e o aparecimento de pigmentações ou lesões que podem comprometer tanto sua saúde quanto sua estética.

Um dos fatores mais preocupantes relacionados à saúde cutânea é a exposição ao sol, que, além de acelerar o envelhecimento, pode contribuir de forma cumulativa para o surgimento de várias lesões, sendo que a mais temida destas é o câncer.

VER MAIS

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o câncer de pele corresponde a 33% dos diagnósticos desta doença no Brasil. Anualmente, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra cerca de 180 mil novos casos, o que demonstra a gravidade atual desse tumor. A grande maioria dos cânceres de pele é do tipo não-melanoma que, geralmente, não são muito graves quando bem tratados logo no início. A importância de se ter um diagnóstico precoce evita o crescimento da doença e o comprometimento de regiões próximas do corpo, além de facilitar o tratamento pelo médico. Mas mesmo o tumor de pele não-melanoma pode também apresentar tipos específicos mais raros e agressivos, que podem comprometer a sobrevida dos pacientes. Estudos contemporâneos demonstram que a principal causa do câncer de pele é a exposição prolongada e desprotegida ao sol, devido à radiação ultravioleta (UV) presente nos raios solares.

No inverno, por mais que a luz do sol e o calor sejam menores, os raios ultravioletas ainda são emitidos como em qualquer época do ano. Assim, o uso diário de protetor solar ainda é uma das maneiras mais importantes na prevenção do câncer de pele mesmo na estação de frio. Contudo, algumas características importantes devem ser seguidas:

  • Opte por filtros solares que protejam contra a radiação UVA e UVB;
  • Utilize, no mínimo, o Fator de Proteção Solar (FPS) 30 e proteção contra UVA de 15 estrelas ou PersistentPigmentDarkening(PPD), localizados no rótulo do produto, para uma alta proteção contra tais radiações;
  • Evite a exposição ao sol entre 10 horas e 16 horas;
  • Use o filtro solar diariamente, reaplicando a cada 2 horas se estiver exposto ao sol ou aplicando uma camada generosa pela manhã e antes do almoço;
  • Escolha um produto que não seja irritante à pele, tenha certa resistência à água para não sair facilmente e não manchar a roupa; e,
  • Compre um fotoprotetor que possua comprovação de testes de eficácia estampado no rótulo.

Além das medidas já citadas, o uso de chapéu de aba larga, roupas com proteção contra raios solares e óculos apropriados também são importantes na prevenção dessa doença. Sempre que surgir alguma alteração na pele, principalmente na região da cabeça e do pescoço, deve-se fazer uma consulta médica para a avaliação minuciosa da pele e para o esclarecimento das dúvidas em relação ao melhor tipo de fotoprotetor e demais medidas preventivas contra o câncer de pele.

Referências Bibliográficas:

http://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/cancer-da-pele/64/
https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/cancer-de-pele
http://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,uso-de-filtro-solar-e-recomendavel-tambem-no-inverno,70001909404