Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), em 2016 houve 175.760 novos casos de câncer de pele no Brasil, sendo que as mulheres foram as mais atingidas por esta doença.

A partir destes números, pode se dizer que o câncer de pele é o tipo de câncer mais frequente em nosso país, representando cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados, sendo que os indivíduos com mais de 40 anos de idade, de pele clara, sensíveis aos raios solares e com histórico de problemas na pele, são os mais suscetíveis a esse tipo de câncer. Já os negros e as crianças, a menos que tenham tido complicações cutâneas anteriormente, são populações com rara propensão à doença.

VER MAIS

 

O câncer de pele pode ser classificado como: tipo melanoma e tipo não melanoma. O melanoma é agressivo e pode levar ao óbito. O tipo não melanoma é menos agressivo, bem mais frequente e pode deformar partes do corpo, sendo mais comuns em áreas expostas ao sol como rosto, pescoço, orelhas, lábios e braços. A seguir, falaremos com mais detalhes sobre o tipo não melanoma.

Os tumores de pele não melanoma mais comuns são o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermóide. Na maioria das vezes, estes tumores não são muito agressivos e não apresentam alto índice de mortalidade mas, apesar disto, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado levam às melhores chances de controle e cura da doença. O câncer de pele é de fácil identificação e a própria pessoa pode observar o aparecimento de manchas na pele que coçam, descamam, ardem ou até mesmo sangram, e de feridas que não cicatrizam após alguns dias.

Além de observar sua pele com frequência, é recomendado investir em algumas medidas de prevenção que são simples e bastante eficazes, como:

  • evitar a exposição ao sol entre as 10h e 16h;
  • aplicar com frequência filtro solar em todas as áreas da pele expostas e também nos lábios, tanto em dias ensolarados como nos nublados e também após transpiração intensa;
  • se proteger com roupas adequadas e com acessórios que cubram o rosto, como um chapéu de abas largas ou mesmo um boné.

Se perceber alguma alteração em sua pele, como uma mancha que está crescendo ou que tem as bordas irregulares, não hesite em procurar um médico e fazer todas as perguntas que desejar, para saber quais são os melhores procedimentos para prevenção, diagnóstico e tratamento.

Referências Bibliográficas:

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma
http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/fator.htm
http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/salvar_vidas_cancer_pele_corrigido_web.pdf
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma/deteccao-precocee
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma/sintomas
http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pele_nao_melanoma/prevencao