Não é novidade que grande parte da população mundial está obesa. Mas você sabia que, há décadas, as crianças também estão sendo acometidas por essa doença e já é considerada uma epidemia mundial?

A obesidade, que até então era prevalente em adultos, geralmente está associada a outras alterações metabólicas e doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como as dislipidemias, a resistência à glicose, o diabetes melitus tipo 2, a hipertensão arterial e as doenças cardiovasculares. Maior predisposição à artrose, menarca precoce, complicações psicossociais, maior mortalidade e frequência de câncer de endométrio, cólon, reto, próstata, mama e vesícula biliar também estão relacionados. Desta forma, o melhor a se fazer é prevenir a obesidade.

VER MAIS

Para uma criança ser considerada obesa é preciso haver o diagnóstico de um profissional que, entre outros métodos, pode utilizar o Índice de Massa Corporal (IMC) para este fim. O cálculo do IMC se dá pela divisão entre peso e estatura² (Kg/m²) e deve ter percentil a partir de 97, segundo o Protocolo Do Sistema De Vigilância Nutricional – Sisvan (2008).

Para que a criança não chegue à obesidade, é importante que os pais ou responsáveis estejam atentos ao estilo de vida geral dela, garantindo que ela se alimente adequadamente com comida caseira em determinados horários do dia, em porções pequenas e variadas, ricas em fibras, sem assistir TV ou mexer no celular durante a refeição, por exemplo, já é um grande passo rumo à
prevenção da obesidade, assim como a eliminação de alimentos ricos em gordura, fast food e alimentos ultraprocessados (bolachas recheadas, refrigerante, balas, etc); outro ponto a se considerar é a prática regular de atividade física, para que a criança não seja sedentária e, portanto, gaste mais energia e leve uma vida saudável.

Se você não tem muita criatividade na hora de servir a criança, aposte na comida de casa mesmo, como a salada de alface, o arroz, o feijão, uma carne (bovina, suína ou de ave) ou ovo e alguns legumes, lembrando sempre de variar a cada dia. Para os lanches e sobremesas, invista nas frutas. Pronto, você já está colaborando para que esta criança tenha uma boa qualidade de vida.

Referências Bibliográficas:

http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/protocolo_sisvan.pdf
http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n3/v80n3a04
http://www.scielo.br/pdf/abem/v47n2/a01v47n2.pdf