Você sabia que o hábito de fumar é a maior causa evitável do adoecimento e morte precoce em todo o mundo e que é considerado um tipo de transtorno mental e comportamental por causa do uso de substância psicoativa?

VER MAIS

 

Que a pessoa tabagista fica dependente física, psicológica e comportamentalmente, você provavelmente já ouviu falar. Mas e as consequências, estão claras para você? Mostraremos algumas complicações a seguir.

O hábito de fumar, também conhecido como tabagismo, é considerado uma doença. O cigarro é constituído por milhares de substâncias tóxicas e cancerígenas que causam a dependência que pode ser explicada da seguinte
maneira: as substâncias ingeridas, principalmente a nicotina, conseguem alterar o funcionamento do sistema nervoso central por meio da formação de neurotransmissores que estimulam a sensação de prazer no cérebro.

Com o decorrer do tempo o organismo acaba se acostumando com a tal sensação e precisando de doses cada vez maiores para atingir a mesma quantidade de prazer anteriormente sentido. Desta forma a dependência é
formada e os prováveis problemas começam a surgir no fumante.

Dentre as complicações que podem se manifestar em um tabagista, se destacam certas doenças crônicas ou alterações não transmissíveis, ou seja, osteoporose, infertilidade, impotência sexual e irritação nos olhos, garganta e
no trato respiratório. Além disto, também há a redução da função dos cílios localizados nos brônquios, que são tubos que levam o oxigênio aos pulmões.

Estes cílios deveriam estar bem ativos, ajudando na limpeza do ar que entra nos pulmões e na remoção de muco e outras partículas. Além da possível formação de aproximadamente cinquenta doenças, o fumo pode tornar o tabagista incapacitado por meio de doenças ainda mais severas como o câncer, as doenças do coração e do sistema respiratório e, até mesmo levar o fumante a óbito.

Após a constatação de tantos problemas decorrentes do tabagismo, o Ministério da Saúde junto ao Instituto Nacional de Câncer (INCA), formulou o Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) para que a informação de tais consequências chegasse aos jovens, com o intuito de prevenir o início deste hábito tão maléfico à saúde, mas também de promover a conscientização dos tabagistas a fim de procurar maneiras para retirar tal hábito de suas vidas.

Hoje em dia, o tabagismo diminuiu significativamente mas ainda há muitos dependentes do cigarro. Desta forma, podemos ajudá-los por meio da comunicação, conscientizando-os dos perigos que este vício pode trazer.

Referências Bibliográficas:

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa-nacional-controle-tabagismo/tabagismo
https://drauziovarella.com.br/corpo-humano/bronquios/
http://www.ufrgs.br/livrodehisto/pdfs/9Respirat.pdf