Julho: Mês de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço

Projeto de Lei que define julho como Mês Nacional de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço foi aprovado pela Câmara dos Deputados, pelo Senado e segue agora para sanção presidencial.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), em média, 76% dos casos de câncer, com exceção da tireoide, só são diagnosticados em estágio avançado, o que dificulta o tratamento e eleva o índice de mortalidade.

Segundo dados do INCA, antes da pandemia, em 2019, foram registradas 20.722 mortes no Brasil causadas por câncer de cabeça e pescoço, o que representa a segunda causa mais fatal, atrás apenas das doenças cardiovasculares e, caso se considere também o câncer de pele que afeta essas regiões, o índice iguala-se ao das patologias cardiovasculares, com o agravante de que não existem as mesmas campanhas destinadas à sua prevenção e combate.

No debate realizado no Congresso durante a tramitação do Projeto de Lei, foi destacado também que essas doenças se manifestam em locais do corpo que, geralmente, ficam visíveis. Seus portadores passam a exibir, involuntariamente, os tumores, sendo obrigados a lidar com a exposição e com as reações àquilo que destoa dos padrões estéticos. Há, portanto, além do sofrimento físico, profundo sofrimento psicológico.

Os cânceres de cabeça e pescoço englobam tumores da cavidade oral, faringe, laringe e cavidade nasal e, entre os principais fatores de risco, estão o consumo excessivo de álcool e o tabagismo. Os tratamentos são multidisciplinares e requerem variada gama de profissionais médicos e da área da saúde. Soma-se a necessidade da realização de exames, uso de medicamentos sofisticados e a realização de procedimentos complexos, como cirurgia, radio e quimioterapia. Os custos podem vir a ser, portanto, extremamente elevados, e inacessíveis à população de baixa renda. Por isso, no espírito da Lei, a prevenção continua sendo a forma mais efetiva de combate à doença.

Durante os meses de julho, haverá um esforço de conscientização, com a disponibilização de informações que esclareçam os sintomas, as formas de prevenção e a importância da busca prematura por tratamento, o que poderá trazer, além da efetiva redução da mortalidade e da incidência de sequelas graves, maior eficiência das políticas públicas de saúde.

Participe, divulgue, previna-se, cuide-se: julho, mês de combate ao câncer de cabeça e pescoço.

Fonte: Agência Senado

Pesquise

Redes sociais

Clique aqui
Entre em contato!
Olá, entre em contato conosco!