Viver sem a tireoide, é possível?

Apesar de ser um órgão pequeno – entre 1 e 1,5 cm nas mulheres e 1,2 a 1,8 cm nos homens – a tireoide é essencial para o bom funcionamento do metabolismo e de grande parte dos órgãos do corpo humano.

Algumas doenças, no entanto, podem exigir a retirada total da glândula, em um procedimento chamado tireoidectomia, como, por exemplo, quando há suspeita de nódulos malignos – diagnóstico determinado pelo Cirurgião de Cabeça e Pescoço, com suporte de exames específicos.

A retirada da tireoide também pode ser indicada quando ela está muito aumentada, a ponto de interferir na deglutição e/ou respiração, ou quando, por algum motivo, o paciente não responde adequadamente ao tratamento clínico recomendado.

A tireoidectomia

Mas, se a tireoide é tão importante, como o nosso organismo faz para viver sem ela? Nesse caso, os hormônios produzidos pela glândula são substituídos por versões sintéticas, ingeridas através de medicamentos. A terapia de reposição hormonal, apesar de permanente, não tem efeitos colaterais ou causa qualquer prejuízo à saúde.

Viva mais, viva bem!

A combinação de diagnóstico precoce, com a tireoidectomia e os hormônios sintéticos são importante conquista da medicina, que traz solução para os tumores da tireoide. Sim, é possível ter uma vida longa e saudável, sem a tireoide. Fique atento aos sinais (leia mais sobre isso aqui) e, em caso de qualquer anormalidade, consulte o seu médico.

Pesquise

Redes sociais

Clique aqui
Entre em contato!
Olá, entre em contato conosco!